Novidades sobre o Congresso da Harvard Medical School

“Laser & aesthetic skin therapy: what’s the truth?” –  Com ênfase em tecnologia e tratamentos a laser, o Congresso da Harvard Medical School, realizado em Boston, abordou diversas novidades envolvendo o melasma, o tratamento da pele negra, a utilização de ultrassom facial e corporal para combater a flacidez e o conceito de rejuvenescimento global da face com associação de tecnologias e procedimentos.

Durante o evento, discutimos sobre a importância de conhecer as diferentes causas e alterações que se sobrepõem na patologia do melasma, como alterações vasculares, inflamação, alteração da barreira cutânea, fatores genéticos, hormonais ou comportamentais, para conseguirmos oferecer aos nossos pacientes um tratamento abrangente e mais eficaz no controle e prevenção da doença, além de diminuir as chances de recidiva. Outro assunto muito importante abordado foi a importância do tratamento multifatorial, associando lasers vasculares, microagulhamento e peelings químicos, além de tratamento tópico de manutenção e uso de filtro solar diariamente.

O tratamento da pele negra exige cuidado na seleção dos procedimentos utilizados. Porém, ele pode e deve ser realizado, para ajudar no controle de algumas doenças, como a pseudofoliculite, por exemplo.

O ultrassom, técnica consolidada para o tratamento da flacidez facial, também é muito utilizado contra a flacidez corporal, com ponteiras capazes de agir ainda mais profundamente na pele, até mesmo no compartimento de gordura, podendo ser utilizado para o tratamento de gordura localizada e da região submentoniana (papada).

Através da compreensão do processo de envelhecimento, conseguimos entender que o rejuvenescimento da face precisa ser feito de uma forma abrangente, com associação de procedimentos e tecnologias. Para obter o resultado desejado, é importante tratar todas as camadas da pele, considerando a perda óssea, perda dos coxins de gordura, flacidez muscular e cutânea, danos actínicos, manchas e rugas.